Sobre Nós

A apostar no Turismo desde 2011...

 

A nossa missão é ajudar no desenvolvimento do turismo da R.A.M. e, consequentemente, a sua situação económica, através da apuração dos factos mais recentes relacionados com o setor nas várias áreas de estudo, nomeadamente no estudo do mercado, do impacto e do destino.
Aqui, publicamos, permanentemente, todos os estudos científicos elaborados pela nossa equipa, todos os dados apurados através da monitorização turística que é feita pelo Observatório do Turismo e oferecemos formação avançada de modo que se possa facilitar todos os envolvidos no Turismo no implemento de ideias inovadoras, bem como na aplicação das melhores estratégias de desenvolvimento económico do setor na Região.

 

Como tudo começou?

A group of successful and satisfied businesspeople looking upwards smiling

Uma vez que a Universidade da Madeira começou a apostar no Turismo, como uma área de interesse para a investigação na Região Autónoma da Madeira, pensou-se na importância da atividade que um Observatório podia trazer para a Região e foi por isso que em 2011 foi criado o Observatório do Turismo da Universidade da Madeira (OT-UMa).

Consequentemente, dada a necessidade de incrementar a investigação e formação na área do Turismo na Universidade da Madeira, de modo a que esta se pudesse tornar num ator fundamental nesta área crucial para o desenvolvimento sustentável da Região, decidiu-se, depois, alargar esse projeto da Universidade, ampliando a composição e atividade do Observatório criando um Centro de Formação e Investigação em Turismo (CFIT-Madeira), que atuou em paralelo e em conexão com o Observatório até 2017.
Posteriormente, o CFIT-UMa muda a sua designação para Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação em Turismo da Madeira (CiTUR-Madeira), uma vez que passamos a ser polo do CiTUR desde Janeiro de 2018.
Foi a partir de 2015, com a aprovação do "Projeto Turismo: Caraterização, Impacto e Sustentabilidade do Turismo da Madeira" (que atua por meio de cofinanciamento do programa regional Madeira 14-20) que se começou a contribuir para o desenvolvimento e reconhecimento da investigação em turismo a nível nacional e internacional. O trabalho dos investigadores deste Projeto está aliado ao objetivo de tornar a Região Autónoma da Madeira conhecida e reconhecida pela investigação realizada em turismo através da publicação de artigos científicos, da integração em redes de investigação internacionais e pela colaboração em projetos de IDT+I
Em suma, o OT-UMa tem por missão monitorizar o fenómeno turístico na RAM, comprometendo-se a disponibilizar informação relevante e material técnico-científico sobre o fenómeno em observação, às entidades relevantes e à sociedade, em geral e Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação em Turismo da Madeira visa desenvolver investigação e submeter propostas de ações de formação aos órgãos competentes da Universidade, nomeadamente de formação avançada, na área do Turismo, bem como na formação pós-graduada nas áreas de gestão do destino e de empresas turísticas.

 

Curiosidade

O ensino de Turismo em Portugal

senior-3336451_1920 (1)

Nos anos 50, a atividade turística, em Portugal, começou a ser percebida como um meio de obtenção de ganhos económicos e este facto levou a que se começasse a pensar numa estratégia para o desenvolvimento do país, na qual se incluiu a ideia de formar um sistema de educação na área do turismo, no sentido de firmar o seu corpo de conhecimento científico para fornecer dados verídicos às entidades competentes como pilares das próximas ações a implementar neste âmbito.

Em consequência disso, em 1957 surge a primeira escola de Turismo - a Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa - o que deu azo à criação de novos cursos orientados ao sector. O Instituto de Novas Profissões e o Instituto Superior de Línguas e Administração, em 1963, introduziram os primeiros cursos regulares de formação na área; em 1965, foi fundado o Centro Nacional de Formação Turística e Hotelaria pelo Estado (agora denominado de Turismo de Portugal); em 1967 foi fundada a Escola de Hotelaria e Turismo no Algarve, e assim sucessivamente foram se desenvolvendo vários núcleos e escolas pelo país. Contudo, nesta altura, o ensino orientado para o setor do turismo equiparava-se ao ensino profissional dos dias de hoje, sendo os cursos supracitados mais orientados para a atividade hoteleira.

No âmbito do Ensino Superior, os primeiros cursos tomaram lugar em instituições privadas. Em 1986, atribuindo o grau de Bacharelato, criou-se o curso em Turismo no Instituto Superior de Novas Profissões de Lisboa, o curso de Técnico em Línguas e Turismo no Instituto de Línguas e Administração de Lisboa e o curso de Turismo no Instituto Superior de Assistentes Interpretes.

Em 1988, a Universidade de Aveiro afirma-se como pioneira da educação em Turismo no Ensino Superior Público criando a Licenciatura em Gestão e Planeamento em Turismo. Tornou-se, assim, o “motor” propulsor do desencadeamento de outros cursos em Turismo pelas várias universidades públicas do país, como a Licenciatura Biepática em Turismo, em 1989 no Instituto Politécnico de Viana do Castelo; em Turismo e Gestão Hoteleira, criadas em 1991 e 1992 respetivamente, na Universidade do Algarve e, nesse mesmo ano, surgem as licenciaturas em Direção e Gestão Hoteleira, Direção e Gestão de Operadores Turísticos e Informação Turística na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, após a sua fundação no ano anterior.
Devido ao crescente desenvolvimento do Turismo, a criação de novos cursos orientados para o sector não se estagnou de modo a acompanhar o ritmo da evolução. É por isso que, atualmente, o sistema de ensino no nível superior conta com uma rede de 35 instituições públicas, 94 privadas, oferecendo 74 cursos superiores de turismo portugueses, perfazendo um total de 400 mil alunos inscritos, em Portugal.

FOLLOW